E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias; E o chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel pôs o de Beltessazar, e a Hananias o de Sadraque, e a Misael o de Mesaque, e a Azarias o de Abednego. E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar.

Daniel 1:6-8

 

Em Levítico 11 há uma lista de animais considerados imundos para os judeus. O verso cinco do capítulo um de Daniel diz que o rei determinou que Daniel e os príncipes de Judá comessem a comida que o próprio rei comia. Na mesa do rei havia carnes de animais considerados imundos aos judeus. E Daniel, como judeu, decidiu não se contaminar. Ele tomou a atitude de falar com o chefe dos eunucos, pedindo permissão para não comer daquela comida para não se contaminar. Podemos comparar o banquete do rei com a quantidade de coisas que o mundo oferece hoje para que nós também nos contaminemos, para que deixemos de viver uma vida santa. Temos nos consagrado, como fez Daniel? Temos tomado a atitude de dizer não para aquilo que sabemos que não agrada a Deus? Ou temos preferido agradar as pessoas e a nós mesmos?

Artigos Relacionados

Assumindo a liderança, segunda-feira
ENTÃO todas as tribos de Israel vieram a Davi, em Hebrom, e...
A importância do culto doméstico, sábado
ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que...