Índice de Artigos

... povo que crê no Sábado

 
Os Batistas do Sétimo Dia observam o sétimo dia – ou seja, do pôr-do-sol de sexta-feira até o pôr-do-sol de sábado – como o Sábado, simplesmente porque eles amam a Deus e ao Senhor Jesus Cristo, o Senhor do Sábado. Desejamos obedecer a sua vontade como expressa nos mandamentos. “Se me amam, guardem meus mandamentos...”
Cremos que o Sábado foi instituído por Deus na criação; que foi mantido durante os quarenta anos dos israelitas no deserto através do envio do maná; que foi ordenado no Monte Sinai; e que foi observado por Jesus Cristo “como era seu costume”.
Nossa política de “liberdade de pensamento” permite que todos os cristãos tomem suas próprias decisões quanto à observância do Sábado, sem que tenhamos uma lista de regras estabelecidas pela igreja proibindo atividades específicas. A observância do Sábado é uma oportunidade de demonstrarmos nosso amor a Deus e deve ser ansiosamente aguardado durante a semana.
A observância frutífera do Sábado inclui adoração, comunhão cristã, tempo a sós com Deus e atividades que fortaleçam nossa fé ou nos permitam compartilhar as bênçãos de Deus com outros. É um momento de deixar de lado preocupações mundanas e se regozijar.
O Sábado criado – Gênesis 2:1-3; Efésios 3:9; Hebreus 1:2
O Sábado relembrado – Êxodo 20:8-11
O Sábado, um deleite – Isaías 58:13, 14
O costume de Jesus – Lucas 4:16
Senhor do Sábado – Mateus 12:1-8; Marcos 2:27, 28
Atividade legal sabática – Mateus 12:9-13
Livramento do cativeiro – Lucas 13:14-16
Obediência amável – João 15:9-14; 1 João 5:1-3
Justiça cumprida – Mateus 5:17-20
Descanso sabático eterno prometido – Hebreus 4:4, 9-11
“E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” (Mateus 22:37-40)
 
“A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei. Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor.” (Romanos 13:8-10)
 
“Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.” (Gálatas 5:14)